Saiba tudo sobre a escrita, algo que fez a humanidade evoluir

A história da escrita é quase tão antiga quanto a história da humanidade: em 4000 A.C, já existia escrita na mesopotâmia.

A Mesopotâmia é a região entre os rios Tigre e Eufrates, onde hoje é o Iraque e foi a região onde a humanidade começou a se desenvolver: foi a região onde surgiu a primeira cidade, onde os primeiros reinos se desenvolveram e onde a escrita começou.

Na verdade, a história é dividida em relação á escrita: quando se fala pré-história, quer dizer antes do surgimento da escrita. A forma mais antiga de escrita é a escrota dos sumérios, chamada escrita cuneiforme.

Escrita cuneiforme encontrada na Turquia

Proto-escrita

Há indícios de comunicação escrita ainda no período neolítico. Os estudiosos chamam essa escrita e proto-escrita: ainda não é uma escrita plenamente desenvolvida porque usa símbolos para representar um conjunto limitado de ideias e pensamentos, parecia um jogo de quebra cabeças.

Escrita neolítica encontrada na China

Na China foram encontrados símbolos gravados em cascos de tartarugas que datam de 7000 A.C.! Também datados de 7000 A.C foram encontrados registros de escrita na Sérvia, no continente europeu, os chamados símbolos de Vinca por perecerem ao antigo povo Vinca.

Entre 4000 e 3000 A.C que a proto-escrita se desenvolveu até se transformar nos primeiros sistemas escritos completos: a escrita da mesopotâmia e a escrita egípcia.

O chamado tablete (pequena estrutura em forma de quadrado e feita de argila onde eram gravados os símbolos) é datada de 3.500 A.C e mostra uma versão primitiva da escrita cuneiforme. As primeiras escrituras foram de caráter comercial, registrando números e, mais tarde um pequeno desenho que dizia o que estava sendo contado.

Mesopotâmia e Egito

O nome Escrita Cuneiforme vem do instrumento em forma de cunha que resultou nos sumérios utilizando para gravar o texto em tabletes de argila.

Alguns estudiosos acreditam que a escrita no Egito surgiu um pouco depois da escrita cuneiforme e que a escrita cuneiforme influenciou a escrita do Egito.

A escrita egípcia ganhou o nome de hieróglifos dado pelos arqueólogos modernos. A palavra vem do grego e significa “símbolo sagrado”.

Escrita encontrada em tumba egípcia.

A escrita tanto entre os sumérios quanto entre os egípcios permitiu guardar o conhecimento de forma mais segura que a transmissão oral, desenvolver o comércio através de escrita comercial, e desenvolver o texto de ficção.

Sem falar que várias obras destas civilizações só chegaram até nós através da escrita.

Alfabeto Fenício

O alfabeto fenício é o mais antigo alfabeto, isto é, aquele em que casa símbolo representa um som. O alfabeto era composto de 22 letras e não tinha vogais.

A importância do alfabeto fenício está no fato de que o alfabeto deu origem a vários outros, inclusive ao que usamos atualmente.

Alfabeto fenício

Pela facilidade do alfabeto fenício, em que cada símbolo representava um som, o alfabeto podia ser adaptado para várias línguas e também permitiu que mais pessoas fossem alfabetizadas.

Os alfabetos mostravam as diferenças de classes: os nobres ainda usavam a escrita cuneiforme.

O Alfabeto Latino

O alfabeto latino é o alfabeto que nós usamos atualmente. Ele é usado nas línguas que vêm do latim, como no português e no francês, além de ser usado em línguas germânicas como o inglês e o alemão. O alfabeto latino veio de uma versão do alfabeto grego que, por sua vez, veio do alfabeto fenício.

Uma das formas mais antigas de alfabeto latino.

 

Os romanos, que falavam latim, utilizaram o alfabeto grego tal como era utilizado em uma colônia grega no sul da Itália.

Quando os romanos conquistaram a Grécia, no século 1 depois de Cristo, a forma clássica do alfabeto latino foi criada coma introdução das letras Y e Z.

Posteriormente, na Idade Média, o alfabeto latino se espalhou coma difusão do cristianismo.

Idade Média

Durante o império romano, o alfabeto latino, usado para escrever em latim foi se espalhando pela Europa.

Mais tarde, durante a Idade Média, o avanço do cristianismo fez com que falantes de línguas celtas, na atual Inglaterra, e falantes de línguas eslavas, no leste da Europa, passassem a usar o alfabeto latino.

Escrita em latim medieval

O alfabeto latino foi sendo usado por todos os países que seguiam a Igreja Católica Apostólica Romana. Países do leste europeu, ao seguirem a Igreja Ortodoxa, mantiveram o alfabeto cirílico.

No entanto, após a queda da União Soviética, vários países decidiram usar o alfabeto latino a partir dos anos 90.

E desde a idade média até hoje, no século XIX, o alfabeto latino tem se espalhado em 2015, o governo do Cazaquistão decidiu que gradativamente, o país vai adotar o alfabeto latino. A mesma coisa com o Turcomenistão que, em 2003, decidiu que também passará a usar o alfabeto latino.

Progresso e escrita

A escrita favorece o progresso, de maneira mais importante, ao permitir que se tenha um registro de atividades, de cultura: assim aperfeiçoar qualquer ponto da cultura se torna mais fácil se guiado por escrito.

A escrita também permite um desenvolvimento das ciências humanas: é possível sistematizar filosofia, ou deixar uma poesia para as próximas gerações.
Mesmo que haja sociedades como os maias, que prosperaram com ausência de escrita, a escrita ainda contribui para formar uma cultura, para dar um senso de união ao povo através do compartilhamento de textos.

Talvez a maior contribuição da escrita seja criar uma coletividade forte que aja coletivamente em prol da sociedade.